MALTA

MALTA

sábado, 10 de junho de 2017

DIA DE PORTUGAL , DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS


Assim foram cortando o mar sereno,
Com vento sempre manso e nunca irado,
Até que houveram vista do terreno
Em que nasceram, sempre desejado.
Entraram pela foz do Tejo ameno,
E à  sua pátria e Rei temido e amado
O prémio e glória dão por que mandou,
E com títulos novos se ilustrou.

Luís de Camões
( "os Lusíadas")

segunda-feira, 5 de junho de 2017

CRIANÇA E CÃO

Estou em estado profundo de perplexidade e choque!

Antes, porém de continuar pretendo esclarecer que gosto de animais , que sou contra touradas e qualquer tipo de maus tratos, que tive durante onze anos uma dálmata de estimação.

Recentemente , a Inês , com quatro ou cinco anos, foi atacada pelo Black, cão de uma raça potencialmente perigosa e que o dono passeava  sem trela nem açaime, ao contrário do que a lei obriga.

A garota enfrenta um longo período de sofrimento para  não ficar  desfigurada e , entretanto, o cão foi entregue pelos donos  para reeducação em alternativa ao abate.

 Assim que a tragédia aconteceu, a dona do animal criou uma página intitulada "Salvem o Black" com o fim de se  conseguir a sua devolução .

Fiquei estupefacta com os comentários , pois todos referiam só o Black, sem sequer falar na Inês. E quem falou, melhor fora  nem o fazer, pois até  a consideraram  simplesmente  "um dano colateral" no meio de uma discussão de adultos.

A certa altura , criou-se uma corrente de oração pelo animal e eu comentei : "Rezemos, sim... e também pela Inês". Pois não é que uma criatura afirma que é completamente despropositada esta minha posição ?! Como é possível esta frieza relativamente a uma criança que vai ficar com sequelas para toda a vida,  enquanto sofre pelo animal que a atacou mais do que uma vez ?!

A inversão de valores é uma realidade brutal e esta obsessão com animais é assustadora. 

As pessoas estão a antropoformizar os animais e a projectar neles os seus sentimentos e as suas emoções, esquecendo completamente que a Natureza em si não é suave nem fácil.

Fico espantada com a defesa dos caracóis e com a afirmação de ser muito difícil saber, numa catástrofe, se salvaria uma criança ou um animal, porque o valor de ambos é o mesmo.

Por este caminho, se uma destas criaturas testemunhar um ser humano a ser atacado por um leão ou outro animal carnívoro, nada fará pois este tem o direito de se alimentar.

Sou eu que ensandeci???